Defesa & Segurança

Uma nova fronteira de negócios, voltada para projetos de larga escala e grande complexidade

Nossa Força

Com a maior projeção do Brasil na economia global, a proteção das fronteiras tornou-se um assunto prioritário na estratégia de defesa nacional.  Com isto, os investimentos na área são cada vez mais expressivos e movimentam a indústria bélica. A Andrade Gutierrez Defesa e Segurança foi escolhida para liderar o Inova Aerodefesa, projeto coordenado pela FINEP para dar apoio aos setores Aeroespacial, Defesa e Segurança no Brasil. A iniciativa tem o objetivo de alavancar a base industrial de defesa no país

Nos próximos dez anos, serão gastos cerca de R$ 11,9 bilhões para montar o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron). Estima-se que o setor gere mais de 13 mil empregos para proteger 27% do território nacional na fronteira com dez países. O Grupo Andrade Gutierrez estará presente em mais uma área em ascensão prestando serviços com qualidade e eficiência, além de auxiliar no desenvolvimento nacional.

Constituída para atuar em projetos que exigem competência em gestão e logística e capacitação tecnológica, a AG Defesa e Segurança vai ofertar soluções que passam por sistemas complexos de monitoramento, comunicação e articulação de ações com foco em controle de fronteiras, segurança urbana, segurança de grandes eventos – como Copa do Mundo e Olimpíadas – e de infraestruturas críticas, como refinarias, portos e outros.

Uma das frentes de atuação é a associação à empresa francesa Thales, líder mundial em tecnologia nos mercados de defesa, segurança, 

aeroespacial e transportes, com quem comanda a Genesys, uma joint venture, com foco em segurança, vigilância e monitoramento de fronteiras e infraestruturas críticas. A associação soma a competência da AG em gestão de infraestrutura, logística e telecomunicações, à experiência sólida do conglomerado francês na área de defesa e segurança. Uma parceria que transita em temas como investimentos em pesquisa, transferência de tecnologias e busca por inovação. A joint venture obedece às premissas federais de uma Empresa Estratégica de Defesa: sede no Brasil e controle nacional do capital votante.

Inovação